Uso de celular na direção é a terceira maior causa de acidentes no país

50
Foto: Portal Encontro

“Bebida e direção não combinam”. Esta frase é bem conhecida da maioria dos brasileiros. Mas, agora, outra “combinação perigosa” está afetando o trânsito e a segurança de motoristas e pedestres: uso do celular enquanto dirige. Segundo Maria Augusta Gatti Vasconcelos, gerente de Educação para a Mobilidade da BHTrans, em entrevista ao portal da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), explica que a ação de falar e teclar no aparelho enquanto dirige ainda é muito comum, apesar de muitos reconhecerem que esse ato retira os reflexos imediatos. Ela lembra que também é muito comum acidentes com pedestres que insistem em atravessar a rua usando o aparelho.

A gerente explica que em todas as palestras, programas e campanhas permanentes promovidas pela PBH, por meio da BHTrans, o tema sobre os riscos do uso de celular dirigindo ou atravessando a via é abordado. “O objetivo é sensibilizar motoristas e pedestres do perigo que correm nos deslocamento pela cidade”, diz Maria Augusta.

Ela lembra que a BHTrans possui um programa permanente de educação para o trânsito voltado a alunos do ensino fundamental I até o ensino médio. A BHTrans também participa na formação de professores para orientá-los sobre a abordagem dos temas trânsito e transporte nas disciplinas, afirma a gerente.

O tema é tão sério que, de acordo com dados da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), o uso do celular ao volante é a terceira maior causa de morte no trânsito, perdendo apenas para o excesso de velocidade e dirigir alcoolizado. Ainda conforme a Abramet, são cerca de 150 mortes por dia no Brasil, uma média de 54 mil por ano.

Ao dirigir, o motorista precisa de toda a sua atenção voltada para o trânsito e o uso do celular diminui a sua concentração. O estudo da Abramet mostra que as reações dos motoristas ficam até 35% mais lentas enquanto estão usando o celular no volante.

Segundo a BHTrans, no 1º semestre de 2018 o número de multas aplicadas pelos agentes municipais pelo uso do celular ao volante aumentou 7,26% em relação ao 1º semestre de 2017. É a terceira maior infração na capital, ficando atrás apenas das infrações por fiscalização eletrônica e de estacionamento irregular/proibido.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB, regido pela Lei 9.503 de 1997) diz que não é permitido usar o celular enquanto estiver dirigindo. Para utilizar o aparelho, é preciso parar ou estacionar em local permitido pela regulamentação vigente.

É proibido:

  • Dirigir segurando o aparelho
  • Dirigir manuseando o telefone celular, ou GPS afixado no painel
  • Dirigir usando de fones de ouvido

O que pode:

  • Usar o celular no modo viva-voz
  • Olhar o GPS ou o Celular afixado no painel para orientação no trânsito. Se for necessário manusear o equipamento, é preciso estacionar o carro

Pelo CTB, o motorista deve dirigir sempre com as duas mãos no volante, com exceção apenas para fazer sinais regulamentares de braço, mudar a marcha ou acionar equipamentos do veículo. A infração por uso do celular na direção, antes considerada média pelo código de trânsito, passou a ser gravíssima em 2016, com multa de R$ 293,47.

(com portal da PBH)