A dificuldade das mulheres de sair de um relacionamento abusivo

1534
Imagem de Kleiton Santos/ Pixabay.

Ab initio, a mulher vivencia diversos tipos de violência, assunto este muito comentado, mas o que não é muito pautado são as origens destas violências que são os relacionamentos abusivos. O que gera a violência doméstica geralmente decorre de relacionamentos conturbados com aspectos abusivos.

Nesse sentido, alguns relacionamentos apresentam traços de abusividade logo no início, com crises de ciúmes, agressões verbais, proibições de sair da residência, chantagens, manipulações e humilhações. A mulher é criada em uma sociedade de cultura patriarcal, por esse motivo as vezes ela não sabe que seu relacionamento é abusivo, pois cresceu vendo o pai ser agressivo com a mãe e acha que isso é normal, pensamento este que pode decorrer de traumas sofridos na infância. Assim, relacionamentos abusivos desencadeiam violência doméstica que é crime previsto na lei maria da penha, por esse motivo a mulher precisa se atentar a situações que são expostas. Pessoas são diferentes e obviamente em determinado momento terão algum tipo de desentendimento, mas isso não significa que possa gerar violência moral, patrimonial, sexual, física ou psicológica.

Ao passo que, qualquer mulher pode vivenciar o relacionamento abusivo, independente de condições financeiras, formada em curso superior sendo instruída ou não. A questão do estereótipo não influência, pois qualquer uma pode passar por violência doméstica desencadeada do relacionamento abusivo.

Partindo desse pressuposto, o abusador possui um padrão de agir seduzindo a vítima levando ela a acreditar que o que ele faz é o melhor para o relacionamento, que quando se está envolvido com uma pessoa é comum agredi-la fisicamente ou com palavras. Ademais, a vítima fica extremaste vulnerável e submissa para de defender, facilitando assim para o abusador prosseguir. Para as pessoas que estão vendo o relacionamento geralmente pode ser difícil identificar que existe traços abusivos, pois o abusador faz parecer que tudo é perfeito, principalmente perto da família da vítima.

Todo o exposto sobredito deixa evidente que o abusador não começa já agredindo a vítima, ele começa demonstrando seu lado romântico, com ciúmes excessivos, fazendo com que a vítima o coloque em um pedestal, começando assim as famosas chantagens. Ocorre que, quando a vítima percebe ela não faz mais as coisas gosta e passa a ser extremamente submissa as vontades do abusador.

Logo, o abusador passa a diminuir a autoestima da vítima, com fundamentos moralistas e comparativos. A vítima passa achar que não é suficiente e busca sempre uma aprovação do abusador, tudo para manter o relacionamento tóxico o qual ela não consegue sair.

Dessa forma, as pessoas precisam se atentar quando visualizar quaisquer sinais de relacionamentos abusivos, tendo a noção que a vítima precisa de ajuda e que não é fácil sair deste tipo de relacionamento. Recomenda-se que se a vítima sofreu qualquer tipo de violência doméstica que ela denuncie para que o responsável pelo delito seja punido conforme a legislação brasileira vigente. Atualmente existem delegacias especializadas em mulher que conta com uma assistência voltada somente para a vítima do sexo feminino, facilitando assim que a vítima consiga expor a situação vivenciada.

Referências

*  PIMENTA, Tatiana. Relacionamento abusivo: 6 sinais de alerta. Vittude, 2019. Disponível em: https://www.vittude.com/blog/relacionamento-abusivo/. Acesso em: 05 de novembro de 2022.

* BRASIL. Lei n. 11.340, de 7 de agosto de 2006.

Isabela Ketry de Andrade Magalhães, Graduanda de Direito no Centro Universitário UNA de Betim-MG. Ex-estagiária da 2ª Delegacia Regional de Polícia Civil especializada em atendimento à mulher. Atualmente estagiária do Tribunal de Justiça de Minas Gerais no Fórum da Comarca de Betim.