TRE-MG realiza auditoria em urnas eletrônicas de Betim e descarta fraude

90

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerai (TRE-MG) realizou uma auditoria extraordinária neste sábado (20) em urnas eletrônicas e descartou fraude no processo.

A auditoria foi feita após reclamações de eleitores da 380ª seção da 319ª Zona Eleitoral de Betim (Escola Municipal Raul Saraiva Ribeiro), além de mais duas seções específicas: 28ª seção da 248ª Zona Eleitoral de Santa Rita do Sapucaí, que funcionou na Escola Estadual Doutor Delfim Moreira, 134ª seção da 33ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, que funcionou na Escola Estadual Bueno Brandão.

A auditoria foi acompanhada por cerca de 20 eleitores, dentre eles alguns que votaram nas urnas auditadas. Além deles, estiveram no evento o procurador regional eleitoral, Ângelo Giardini, juízes eleitorais de Betim e Belo Horizonte, promotores eleitorais, delegado e um perito da Polícia Federal, representantes da Polícia Militar, de partidos políticos e da imprensa. A juíza Roberta Fonseca, que preside a Comissão de Auditoria do Voto Eletrônico do Tribunal, conduziu o processo.

A auditoria reproduziu a votação e a utilização das urnas do mesmo jeito que foi feito no primeiro turno. Cada urna recebeu os mesmos votos registrados naquele dia.

A simulação constatou que cada voto foi registrado na urna sem qualquer problema e a soma final correspondeu ao que ocorreu no primeiro.

Boatos sobre fraude nas eleições

Ainda no primeiro turno, várias mensagens circularam nas redes sociais afirmando que alguns eleitores não conseguiam terminar o processo de registro do voto até o último número. No dia 7 de outubro, o TRE-MG divulgou nota informando que tais denúncias eram falsas.

No dia seguinte à votação, o desembargador Rogério Medeiro do TRE-MG disse que, em mais de 20 anos de uso, nunca foi comprovada qualquer fraude em urnas eletrônicas.