Atendimento da Farmácia Viva será ampliado

1033

A partir deste ano, a produção e atendimento do programa Farmácia Viva serão ampliados. A iniciativa aumentará a renda das famílias dos agricultores envolvidos na produção da matéria-prima vegetal. Com recursos provenientes do Governo Federal, será possível implantar o projeto de controle da qualidade da produção e, com isso, a dispensação de medicamentos será ampliada na cidade.

O financiamento para a ampliação do programa é proveniente do Ministério da Saúde (MS), que está incentivando a ampliação e o controle de qualidade da Assistência Farmacêutico em Plantas Medicinais e Fitoterápicas em todo o País. A Farmácia Viva de Betim apresentou o projeto ao MS e foi uma das unidades selecionadas, por meio do edital SCTIE/MS 01/2018, conseguindo captar R$ 499 mil para a sua execução.

A coordenadora da Farmácia Viva, Jaqueline Guimarães, afirma que os recursos já foram depositados na conta do município e a primeira etapa será a compra de insumos e equipamentos, além da contratação de pessoal. “Nós temos até três anos para implantar esse projeto. Nossa perspectiva é iniciar o cultivo das plantas no segundo semestre deste ano”, revela.

Ainda segundo Jaqueline Guimarães, o projeto contempla o desenvolvimento de novas metodologias de controle de qualidade, de forma a possibilitar a oferta de medicamentos cada vez mais seguros e eficazes aos usuários do SUS/Betim.

A farmácia oferece para pacientes do SUS Betim 83 medicamentos fitoterápicos, como cremes, loções, xaropes, tinturas e pomadas, além de alimentos funcionais com farinhas de berinjela, maracujá e banana verde, chia e hibisco, e toda a linha homeopática. Em média, 6.500 medicamentos são dispensados por mês.

Atualmente, os medicamentos fitoterápicos são produzidos a partir 25 plantas medicinais. Com a implantação do projeto será possível incluir outras espécies, para a produção de outros medicamentos e alimentos funcionais, que poderão ser prescritos pelos nutricionistas do SUS Betim para prevenção e tratamentos de doenças.

O projeto será implantado em quatro eixos: ampliação da capacidade produtiva da farmácia e da produção agrícola de matéria-prima; melhoria do controle de qualidade; melhoria e ampliação da dispensação dos medicamentos para a rede; e capacitação profissional para agricultores e profissionais do SUS que prescrevem os medicamentos. A Farmácia Viva contará com a parceria do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para pesquisa e desenvolvimento na área de plantas medicinais e alimentos funcionais.

A Farmácia Viva Betim

O programa foi lançado em abril 2004 para atender uma demanda, identificada pelos profissionais de saúde, de pacientes que estavam substituindo de forma indiscriminada o medicamento convencional pelo fitoterápico e fazendo o uso de plantas medicinais com nenhuma orientação ou conhecimento dos riscos. Em 2011, a unidade foi transferida para a atual sede, no bairro Filadélfia, o que possibilitou a ampliação da oferta de medicamentos fitoterápicos, além da implantação da manipulação de medicamentos homeopáticos para o SUS/Betim.

Parte da matéria-prima utilizada na produção dos medicamentos é fornecida por agricultores do Arranjo Produtivo Local (APL). Eles recebem treinamento e acompanhamento técnico para cultivarem as plantas medicinais de forma adequada e com controle de qualidade para a produção de fitoterápicos e alimentos funcionais.

Aplicabilidade no SUS Betim

Na rede pública de saúde de Betim, médicos, dentistas, enfermeiros e nutricionistas, capacitados em fitoterapia pela Farmácia Viva, e os especialistas em homeopatia podem prescrever os medicamentos. A receita é entregue pelo paciente na farmácia de sua unidade de saúde, que a encaminha para a Farmácia Viva, onde é feito o atendimento da prescrição.  O medicamento manipulado é enviado para a unidade solicitante, que o dispensa ao usuário. O tempo de espera para o recebimento do medicamento é, em média, dois dias úteis.